O PORTUGUÊS CONTINUA NA CORDA BAMBA NO ENSINO GALEGO

Quarta-feira, 03 de Fevereiro de 2016

PARECER DA DPG SOBRE A PRESENTE OFERTA DE VAGAS A CONCURSO NO ENSINO PÚBLICO GALEGO PARA O 2016:

PARECER OFERTA VAGAS PÚBLICAS 2016

imagem1imagem2

Os sindicatos apoiam reivindicação da DPG

Quarta-feira, 03 de Fevereiro de 2016

Mais um ano a DPG vem de solicitar a ajuda e apoio dos sindicatos galegos no referente à solicitude e reivindicação de consolidação do existente e criação de vagas de português no ensino secundário galego.

No passado dia 15 de janeiro de 2016 a DPG e representantes sindicais fizeram um ato simbólico de entrega no Registo Geral da Junta da Galiza de um escrito onde se reitera a necessidade de uma aposta clara por parte da administração galega no ensino da língua portuguesa no sistema de ensino público galego, assim como a eminente criação de vagas da especialidade.

escrito 1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E a fotografia do ato de entrega no Registo Geral da Junta da Galiza:

DPG + sindicatos

Agradecer a CNT, CIGA, FETE-UGT, CSIF, STEG e ANPE o seu apoio.

O português volta ao seu berço

Quarta-feira, 14 de Outubro de 2015

SIMPÓSIO SIPLE 2015

SIMPÓSIO SIPLE 2015 - CartazA língua portuguesa em espaços multilingues

Todos os logotipos juntos - FINAL

Santiago de Compostela 16-17 de outubro de 2015

Este ano a DPG não celebrará, como era costume, o seu encontro anual de outono, o que não significa que não nos juntemos com as nossas sócias e os nossos sócios para tratar algum dos assuntos que nos ocupam e com os que nos preocupamos, enquanto coletivo de Docentes de Português na Galiza. Só que este vai ser um encontro diferente: não vamos estar nós sós, e por fim teremos a oportunidade de contar ao mundo (ao mundo do ensino do português, entenda-se) a nossa experiência; não vamos ser só nós a ouvir-nos, a cismar nos problemas já conhecidos e comuns a todos; e vamos poder conhecer também outras experiências. Para nós, como associação e como profissionais, isso será todo um enriquecimento.

Porém, há mais. Toda esta situação, diferente da habitual e tão enriquecedora, será possível por cortesia da SIPLE, empenhamento da AGLP, e a própria disponibilidade da DPG e outras organizações para apoiar na organização e acolher. Que uma entidade, da importância da SIPLE no contexto do ensino do português no mundo, convide uma associação pequena, da Galiza, como a nossa, para ser anfitriã num evento deste tipo, implica uma grande responsabilidade, assim como o reconhecimento dificilmente quantificável que será situar a Galiza, berço do galego-português, como coração e casa de um encontro de projeção internacional. O acontecimento conta também com o apoio doutras associações como a Agal e a APP (Associação de Professores de Português de Portugal), e instituições como a Xunta de Galicia e o próprio Museu do Povo Galego, que desde o início desta proposta facilitaram a sua realização.

Esperam-se comunicações e debates de todo o tipo, desde experiências que são levadas a cabo na Galiza com a língua portuguesa – ora como próprio alvo, ora como língua veicular em diferentes níveis de ensino curricular – até outro tipo de propostas pedagógicas e didáticas que são realizadas na Galiza com o português – isto a nível do que temos para oferecer; já no que toca ao que poderemos assistir e do que poderemos aprender, haverá novas visões e estados da questão sobre a presença da língua portuguesa num espaço multilinguístico; a importância ou não da institucionalização de uma visão multilingue para a mais justa projeção da língua; ou a questão específica de criação de materiais e formação de docentes de língua portuguesa em espaços de convivência de várias línguas, e a maneira como isto talvez deve ser encarado.

Na Galiza, que poderíamos considerar como a mátria da língua galego-portuguesa, sofremos um défice de atenção à nossa própria língua e, por causa disso, o conhecimento da língua portuguesa tem sido completamente negligenciado até o momento, tanto por instituições como pela própria sociedade, o que teve graves consequências, como a atual falta de conhecimento formal da língua por parte da maioria da sociedade e, portanto, a falta de uma competência comunicativa realmente eficiente e de qualidade num âmbito que (por história, tradição, vinculação e até por leis europeias) devia ser plenamente competente de seu.

Portanto, o lugar escolhido pela SIPLE para o simpósio deste ano 2015, Compostela, é um facto relevante e que não podemos obviar. A questão de situar a Galiza no mapa como um lugar estratégico do ensino do português no mundo, quando, salvo exceções, os simpósios da SIPLE se vinham celebrando no Brasil, há-de ter – deverá ter necessariamente – a transcendência social que merece, e só depende de nós e das autoridades competentes aproveitar estas circunstâncias privilegiadas que nos dá termos nascido na Galiza.

A equipa de trabalho da DPG

Simpósio SIPLE 2015

Quinta-feira, 17 de Setembro de 2015

O PORTUGUÊS EM ESPAÇOS MULTILINGUES

16 e 17 de outubro, Museu do Povo Galego

SIMPÓSIO SIPLE 2015 - Cartaz

Simpósio internacional da SIPLE em Santiago de Compostela

NOVO! PROGRAMA – Cadernosimposiosiple2015

A Docentes de Português na Galiza colabora na organização do Simpósio SIPLE 2015, que neste ano será realizado em Santiago de Compostela a 16 e 17 de outubro, nas instalações do Museu do Povo Galego.

O evento é uma oportunidade única, tanto para os anfitriões quanto para os visitantes; tanto no que diz respeito à formação didática, como ao facto de dirigir para a Galiza os olhares de docentes de português espalhados pelos quatro cantos do mundo.

É por isso que a DPG resolveu prescindir do seu encontro anual em 2015 e encaminhar todos os esforços para apoiar o melhor possível o evento.

Da DPG encorajamos a participar, tanto na qualidade de assistentes, quanto na de relatores: além de podermos aprender do de lá fora, importa muito divulgarmos o que por cá se vai fazendo. Além disso, os encontros deste tipo sempre servem para conhecer pessoas, partilhar ideias e tecer novas redes de apoio e trabalho.

Os sócios da DPG terão as mesmas condições de vantagem (inscrições e apresentação de comunicações) de que usufruem os sócios da SIPLE. E, ainda, foi ampliado o prazo até 23 de setembro para a inscrição no evento com cota reduzida para as pessoas residentes na Galiza e no resto do estado espanhol:

tabela inscricoes

IMPORTANTE! Não é necessário as pessoas residentes na Galiza ou no resto do estado  efetuarem o pagamento pelos meios que se referem na página da SIPLE, mas com o envio de um email a siple2011@gmail.com deverão confirmar a inscrição e combinar o pagamento a realizar in situ no próprio dia de inauguração do evento, de modo a evitar taxas bancárias internacionais desnecessárias. As inscrições terminam definitivamente a 30 de setembro de 2015.

A homologação desta atividade foi solicitada à Consellería de Educación e a DPG está a realizar os trâmites estipulados para a sua aprovação, que só se confirmará com posterioridade ao evento. São passíveis de receber esta homologação os sócios e/ou outros docentes interessados que se encontrem a trabalhar para a Conselharia e dispuserem de uma morada de email de edu.xunta.es. A DPG gostaria de alargar esta homologação a todas as restantes pessoas participantes, mas os empecilhos burocráticos são incontornáveis neste particular. Contudo, e sem distinção, todos as pessoas que assistirem ao evento receberão um certificado de assistência por parte da organização do evento.

NOVO! Homologação provisória concedida!

Para qualquer dúvida ou aclaração, podem escrever para: siple2011@gmail.com

Todos os logotipos juntos - FINAL

As três associações galegas relacionadas com a docência das línguas alemã (AGX), francesa (APFG) e portuguesa na Galiza (a própria DPG) unem-se na realização de um escrito conjunto para denunciarem o grave detrimento que sofrerão estas línguas no enquadramento da nova aplicação da LOMCE na Galiza.

Pois, segundo o novo decreto que estabelece o currículo e a distribuição horária na etapa do Bacharelato destas três línguas viriam a sofrer uma preocupante diminuição na carga horária semanal, passando de serem 4h letivas semanais em cada ano do Bacharelato a apenas 2h em 1º BAC e 3h em 2º BAC.

Deste jeito queremos denunciar mais uma vez a pouca responsabilidade e atenção que se dá no nosso sistema educativo à qualidade e eficácia no ensino de línguas regrado e público da Galiza.

Deixamos aqui ao vosso dispor a totalidade do texto:

Associações galegas de ensino de línguas denunciam detrimento das mesma no ensino

Associações galegas de ensino de línguas denunciam detrimento das mesma no ensino

Older Posts »