XVI Jornadas de Atualização Docente

Domingo, 11 de Outubro de 2020
XVI Edição das Jornadas de Atualização
Programa das XVI Jornadas

Aberta inscrição para as XVI Jornadas de atualização docente organizadas pelo I. Camões com o apoio da DPG.

As XVI jornadas tinham sido agendadas inicialmente para 13-14 de março mas tiveram de ser adiadas até hoje.

Subordinadas ao tema “Modelos de Avaliação” realizar-se-ão totalmente à distância devido à presente situação e crise sanitária, através da Plataforma – Microsoft Teams, nos dias 20, 21 e 22 de outubro de 2020. 

Jornadas limitadas a 40 participantes

Devido à obrigatoriedade de presencialidade num mínimo 60%, estas Jornadas não serão homologadas pela própria Xunta da Galiza.

Contudo Instituto Camões certificará a assistência de docentes ao serviço da Xunta da Galiza.   


Mais informação e inscrições aqui

A nossa associação após tomar ciência da recente vontade da Inspeção Educativa no referente à supressão do Departamento de Português no IES San Paio, em Tui, vem a público manifestar o seguinte:

1. A medida anunciada pela Inspeção é completamente arbitrária, pois o Português tem uma forte demanda no IES San Paio, com cerca de um centenar de alunos e alunas matriculados no presente curso. A disciplina de Português conta, em decorrência disso, com uma carga horária mais do que suficiente para que se mantenha a especialidade e, consequentemente, o Departamento.

2. O IES San Paio de Tui foi o primeiro de toda a Galiza em contar com cadeira e Departamento de Português, uma disciplina que leva 30 anos de ensino ininterrompido nesse centro. Não tem sentido suprimir o Departamento decano do país, e muito menos fazê-lo quando tem alunado e carga horária.

IES S. Paio de Tui, das primeiras escolas na Galiza a ensinar português.

Se isso fosse pouco, estamos a falar de suprimir o Departamento de Português numa Eurocidade e com uma Lei em vigor (a Lei Paz-Andrade) que obriga o Governo galego a promover o ensino do Português.

3. A comunidade educativa do IES San Paio (Conselho Escolar, Claustro de Professorado, AMPA, alunado…) é contrária a esta medida, como demonstram os apoios públicos e as gestões para reverter esta nefasta decisão.

4. A supressão do Departamento de Português, caso venha a confirmar-se, representa um perigo evidente para a continuidade do estudo desta língua no IES San Paio. Ou seja: ainda que neste ano escolar se mantenham os grupos, os mesmos podem ser suprimidos a qualquer momento, nos próximos anos. Isso implica um duplo prejuízo: para o alunado futuro, porque não terá a opção de estudar Português; e para o alunado atual do centro, porque será obrigado a mudar de língua estrangeira a meio dos seus estudos, aterrissando subitamente noutra língua sem possuir a menor base nela.

Por todo o exposto, é de justiça reverter a decisão anunciada pela Inspeção Educativa em Setembro de 2020 e manter o Departamento de Português no IES San Paio, de Tui. Não faz falta mudar a Lei nem investir dinheiro, pois o marco normativo atual permite que se mantenha o Departamento e já existe professorado. Basta que existam vontade política e, por cima de tudo, sensibilidade. É isso que desde a DPG pedimos e esperamos da Conselharia de Educação.

Comunicado enviado aos meios

Notícias relacionadas

Notícia no jornal Faro de Vigo

Cig-ensino apoia permanência do Departamento e adaptação da lei à nova realidade

Escrito enviado pela CIG à Direção geral

13 E 14 MARÇO em Compostela

Instituto Camões com o apoio da DPG está a organizar as “XVI Jornadas de Atualização Docente de PLE: Modelos de Avaliação”, que terão lugar nos dias 13 e 14 de março de 2020, no MUPEGA – Museu Pedagógico da Galiza.

Inscrições:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSffl9s01_0cPZrLJOBcpWuyULAdvSBL6j7lcht37mJCd0gRlw/viewform

Com 2036 vagas anunciadas, a publicação prévia do governo inclui zero vagas de língua portuguesa. A associação de professores DPG já pediu uma reunião com a Conselharia de educação e diferentes coletivos apoiaram um mesmo parecer relacionado com o cumprimento da Lei Paz Andrade.

A Associaçom Galega da Língua, a Academia Galega da Língua Portuguesa e A Mesa pola Normalización Lingüística apoiaram o seguinte

Parecer de Docentes de Português na Galiza sobre a convocatória de concurso público de 2020 até agora anunciada:

A publicação prévia da convocatória de oposições de 2020 não inclui vagas para a especialidade de português no secundário o que alarma as nossas organizações perante o pouco valor que está a ser dado à lei de promoção da língua portuguesa.

Queremos mostrar a nossa contrariedade perante a gravidade do nulo ou mínimo desenvolvimento da Lei 1/2014 para o aproveitamento da língua portuguesa e vínculos com a lusofonia. Atualmente, apenas 7 docentes no secundário possuem a categoria de especialistas para o total de centros de secundário da Galiza, sendo que em 2013 os promotores da Lei Paz Andrade já tinham alertado para a necessidade, nesse ano, de um mínimo de 20 especialistas iniciais.

Verificamos como o grosso do ensino da língua portuguesa continua a ser realizado e mantido através do voluntarismo  de algumas docentes que não possuem oficialmente nem a especialidade nem departamento próprio. O ensino de português no secundário continua sem uns mínimos de previsão, expansão ou assentamento dos níveis, nem de condições laborais adequadas para a implementação de uma matéria que conta, hoje, com especialidade própria. Em função dessa voluntariedade os centros que oficialmente lecionam português não apenas variam de ano para ano como só conseguem com grandes custos oferecer todos os níveis educativos em cada centro ou criar e manter departamentos específicos.

Como a própria Conselharia de Educação, na reunião da mesa de negociação do dia 3 de dezembro, abriu a possibilidade de algumas das 2.036 vagas convocadas serem suscetíveis de vir a mudar e incluir assim alguma especialidade que não aparecesse na previsão inicial, requeremos da Conselharia:

  • Que reconsidere a convocatória de Oferta de Emprego Público de 2020 incluindo vagas de português antes da sua publicação no DOG.
  • De igual modo, que inclua em futuras convocatórias uma previsão de aumento constante e regular do número de vagas da especialidade até colmatar a necessidade de oferta de português em todos os centros de secundário da Galiza.

Com o apoio de:

XV Jornadas de Atualização Docente de Português Língua Estrangeira (PLE), que vão decorrer de 15 a 16 de novembro de 2019 no Camões –  Centro Cultural Português em Vigo com a temática “A pragmática na aula de PLE”. As Jornadas são organizadas em parceria com a CEPE – Espanha e Andorra e com o apoio da Xunta de Galicia e da Associação de Docentes de Português na Galiza.

Nesta formação, dirigida a Docentes de Língua Portuguesa na Galiza e no restante território espanhol, a cargo da formadora Conceição Carapinha (Professora Auxiliar na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra), pretende-se refletir sobre a importância da dimensão pragmática da competência comunicativa no QUECRL, perceber a importância da abordagem dos atos ilocutórios em PLE/PL2, entre outros aspetos.

Mais informação em:

https://www.instituto-camoes.pt/sobre/comunicacao/noticias/xv-jornadas-de-atualizacao-docente-de-portugues-lingua-estrangeira

Older Posts »